Concurso MPU 2013 – Prova confirmada pela justiça

Posted on

Prova do concurso do MPU confirmada

A 22ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal negou na última sexta-feira, 17 de maio, a liminar que pretendia suspender a realização do concurso para os cargos de técnico administrativo (nível médio) e analista processual (superior em Direito) do Ministério Público da União (MPU). Assim, as provas objetiva e discursiva, de caráter eliminatório e classificatório, estão confirmadas para este domingo, 19 de maio, com aplicação nas capitais dos 26 estados e no Distrito Federal. O Sindicato Nacional dos Servidores do Ministério Público da União (Sinasempu) e outras entidades de classe haviam protocolado mandado de segurança coletivo (processo nº 25611-18.2013.4.01.3400) no Supremo Tribunal Federal (STF), com pedido de liminar contra a Portaria 122/2013, assinada pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel. Esta portaria altera a nomenclatura e as atribuições descritas no edital do concurso – motivo pelo qual o Sinasempu pretendia suspender a seleção, que reúne 283.178 inscritos para oferta de 147 vagas, mais cadastro de reserva, para os cargos de técnico administrativo e analista processual, com remunerações de R$5.285,16 e R$8.216,55, respectivamente.

Orientações para prova do concurso do MPU

Neste domingo, dia 19, serão aplicadas as provas do concurso do MPU. Para analista, as avaliações serão iniciadas às 8h. Já os candidatos a técnico começarão as provas às 15h, ambos seguindo o horário oficial de Brasília. Para evitar eventualidades, o coordenador acadêmico do Cespe/UnB, Marcus Vinícius Soares, orienta para que a chegada dos candidatos aos locais de prova seja feita com antecedência de uma hora. Os participantes devem portar apenas os documentos descritos no item 12.9 do edital, além de caneta específica para a resolução da prova. “É recomendável que os inscritos compareçam ao local de prova com o cartão de confirmação, e é indispensável a apresentação de um documento de identidade original. A caneta preta, produzida em material transparente, também é fundamental. Se possível, leve mais de uma. Em relação à vestimenta, o candidato deve seguir o bom senso. Deve atentar para questões climáticas, quanto à utilização de agasalho. O importante é garantir o próprio conforto, de forma que fatores externos não prejudiquem o desempenho”, destaca. Além disso, Marcus Vinícius frisa mais um ponto importante em relação à prova, que é a impossibilidade de utilizar qualquer aparelho eletrônico no local. Quem desrespeitar esta regra estará passível de exclusão do concurso. “De modo geral, são proibidos, conforme o item 12.21 do edital. Mas, de qualquer maneira, antes da prova, será fornecido um envelope porta-objeto, para que o candidato mantenha o aparelho desligado e lacrado no interior, caso o leve”, afirma. Os candidatos a analista serão submetidos a 50 questões de Conhecimentos Básicos, abrangendo Língua Portuguesa, Noções de Informática e Legislação Aplicada ao MPU e ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP); e 70 de Conhecimentos Específicos, sobre Direito Constitucional, Administrativo, do Trabalho, Civil, Processual Civil, Penal, Processual Penal, Penal Militar e Processual Penal Militar; mais a redação. Já os inscritos ao cargo de técnico responderão a 50 perguntas de Conhecimentos Básicos, incluindo Legislação Aplicada ao MPU e ao CNMP, Língua Portuguesa, Noções de Informática, Ética no Serviço Público e Raciocínio Lógico; e 70 de Conhecimentos Específicos – Noções de Direito Constitucional, Noções de Direito Administrativo, Noções de Administração e Administração de Recursos Materiais. O gabarito preliminar está previsto para ser publicado no próximo dia 21, e os candidatos terão até 23 de maio para interpor recurso.

Fonte: Folha Dirigida

Link Quebrado?