Concurso Polícia Federal – Cargo agente administrativo | Edital será publicado até agosto

Posted on

image|Concurso-policia-federal-administrativo

Concurso (PF) Polícia Federal – Agente adminstrativo

O edital do concurso da Polícia Federal para área administrativa deverá ser divulgado até agosto para 566 vagas em cargos dos níveis médio e superior da área de apoio do departamento, com ganhos iniciais de até R$5.454,18. Conforme estipulado pelo Ministério do Planejamento, o prazo para a publicação do documento é de seis meses, a contar da autorização, ocorrida no último dia 22 de maio. A PF, no entanto, trabalha para divulgá-lo muito antes disso, já que a intenção do órgão é, se possível, nomear os aprovados ainda este ano.

Cargos e remuneração do concurso da PF

A grande maioria das vagas do concurso da Polícia Federal (PF) será para o cargo de agente administrativo. Serão 534 chances no cargo, que tem como requisito básico o ensino médio completo e proporciona remuneração de R$3.689,77 já no início da carreira, incluindo o auxílio-alimentação, que é de R$373. As 32 oportunidades restantes serão distribuídas por seis cargos de nível superior, sendo 11 para engenheiro, sete para assistente social, cinco para contador, quatro para administrador, três para psicólogo e duas para arquivista. Os iniciais, já com o auxílio-alimentação, são de R$5.454,18 para engenheiro e de R$4.412,32 para os demais.

Distribuição das vagas do concurso da PF

A distribuição das vagas por região ainda não está definida e dependerá, entre outros, do resultado do concurso de remoção interna dos atuais servidores, que antecederá a divulgação do edital. O Sindicato Nacional dos Servidores do Plano Especial de Cargos da Polícia Federal (SinpecPF) defende que na distribuição seja contemplado o maior número possível de unidades, tendo em vista a “enorme” carência de profissionais administrativos em todo o país. O sindicato também prometeu fazer pressão para que o edital do concurso seja divulgado o mais rápido possível.

Organizadora do concurso da PF área administrativa

Também não há ainda uma definição sobre qual será a organizadora do concurso da Polícia Federal para área administrativa. As etapas da seleção e o conteúdo que será cobrado nas provas deverão ser discutidos junto à instituição escolhida, mas caso seja mantida a estrutura da seleção de 2004, a última realizada para a área de apoio da PF, os candidatos terão que passar, exclusivamente, por provas objetivas, de Conhecimentos Básicos e Conhecimentos Específicos.

Cargo disponíveis

No último dia 4, o departamento informou que há, em todo o país, 604 cargos vagos de agente administrativo. Com isso, é possível que ao longo da validade da seleção sejam contratados mais aprovados do que o previsto inicialmente, como permite a legislação.

Dicas de Conhecimentos Específicos

Direito Constitucional e Redação para Expediente são duas das matérias que constituem o conteúdo da prova de Conhecimentos Específicos da Polícia Federal. Embora a organizadora do concurso ainda não tenha sido definida, os professores acreditam que o Cespe/UnB seja a banca responsável pelo concurso. Diante dessa expectativa, Fábio Ramos crê que o estudo tenha que ser baseado nas características da banca. “O candidato tem que estudar toda a teoria e, depois, direcionar os estudos, exercícios, de acordo com os últimos concursos realizados pela banca”, alerta.

O professor também afirma que a prova da Polícia Rodoviária Federal, em 2012, pode servir de base para a preparação, assim como a última avaliação para a PF em 2004, mesmo após nove anos. “É na linha dessas provas de cargos administrativos que a futura banca irá seguir”, ressalta. Fábio Ramos ainda chama atenção para o foco nos detalhes das competências de organização do Estado e dos Poderes, além dos Direitos Fundamentais. Para ele, essas disciplinas fazem a diferença para a aprovação. “É certo cair uma questão de Direitos Fundamentais, e essa o candidato tem que acertar. Mas o diferencial será as competências do Estado e dos Poderes.”

Já o professor Paulo Paranhos comenta que a Redação para Expediente vem tendo um peso importante nos últimos concursos, como o da PRF, no ano passado, apesar de não necessitar de muitos detalhes. “É uma matéria séria, mas com material pequeno e que, com pouco tempo de estudo e boa aplicação, se consegue acertar quase todas as questões”, diz.

Paulo também aconselha os candidatos a criar o hábito de leitura de jornais e revistas, pois o Cespe/UnB (provável banca) aborda textos que tratam da realidade. Com isso, o concorrente que se mantém bem informado tem uma certa vantagem. “Quando for fazer um concurso público, comece ontem a ler jornais, uma revista semanal. Esse é o foco principal. Estar sempre atualizado, porque se cair um texto sobre um tema que o candidato já leu alguma coisa sobre o assunto, será muito mais fácil resolver a questão.”

Fonte: Folha Dirigida



Link Quebrado?