Raciocínio lógico e o Concurso Público

Posted on
Concurso-Público-Raciocinio-logico

Raciocínio lógico

Cada vez mais presente nas provas de concursos públicos, a disciplina de Raciocínio Lógico vem ocupando o lugar que antes era destinado à Matemática. Segundo o professor do Jaula Cursos, Eduardo Cabral, as seleções estão exigindo a capacidade de interpretação do candidato e não mais a capacidade de decorar fórmulas. “As questões não podem ser apenas decoradas, mas têm que ser entendidas. Claro que existem técnicas, caminhos para resolver de forma mais rápida e eficiente, mas o aluno tem que entender o conceito, o significado. Hoje mesmo as provas de Matemática exigem do aluno raciocínio, os tempos de decorar, responder sem entender, com raras exceções, acabaram”, esclarece.
Ainda segundo o professor, a matéria é considerada pelos alunos como “uma viagem”, mas ele ressalta que Raciocínio Lógico é uma análise de um conjunto de ideias. Para o concurseiro não cair em pegadinhas, Cabral aconselha que é preciso verificar a coerência das proposições, mesmo elas não correspondendo a uma verdade. “ Uma das maiores dificuldades que o aluno tem é querer associar o que está sendo afirmado com situações reais. Muitas vezes a análise é dentro de um certo universo, dentro de características do enunciado. Outro erro comum é fazer interpretações que não estão enunciadas no contexto, podendo levar a uma conclusão errada”.
Os principais assuntos a serem estudados são Lógica de Argumentação, Lógica Proposicional, Sequências, “Verdades e Mentiras”, Correlacionamentos e Probabilidades. Agora, na maioria dos editais os tópicos não serão explici­tados no conteúdo programático. Isso faz com que o le­que de estudos fique maior e o candidato precisa estar preparado. Não há uma especificidade da disciplina para os concursos da área judiciária, e sim – segundo Eduardo Cabral – de acordo com a banca organizadora do certame.
Eduardo Cabral aponta a Fundação Carlos Chagas e a Cespe/UnB como as organizadoras mais contratadas em concursos para tribunais. “Em geral, os alunos consideram a primeira empresa como a que apresenta provas mais fáceis, enquanto a Cespe tem exames mais conceituais, julgados difíceis. Mas, na verdade, não há mistérios, desde que os candidatos resolvam questões de provas anteriores”, garante.

Por favor, caso tenha algum link quebrado(destino diferente ao desejado ou inexistente), favor acesse nosso Termo de Uso e preencha o formulário no final da página.